30.8 C
Campo Grande
terça-feira, 20 de fevereiro de 2024

“Vamos revidar sim”: delegado-geral diz que polícia está pronta para confronto

Durante entrevista, Roberto Gurgel afirmou que preocupação é proteger vida das vítimas e dos policiais

Para o delegado-geral, Roberto Gurgel, as mortes em confronto mostram o preparo das forças policiais do Estado. Durante coletiva de imprensa na manhã deste sábado (9), na sede da Delegacia-Geral em Campo Grande, o chefe da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul

Ao ser questionado sobre o número de mortos em ações policiais ter aumentado mais uma vez neste sábado (9), com o caso dos seis suspeitos que planejavam roubar caminhonetes e manter as vítimas em cárcere, Gurgel ressaltou que em toda ação policial existe o uso progressivo da força.

“Hoje, por exemplo, houve a ordem de parada e a reação dos suspeitos foi atirar. Se tivessem simplesmente estacionado o veículo, descido e se entregado, não teriam morrido”, pontuou o delegado-geral.

Segundo o chefe da Polícia Civil, a preocupação da polícia não são é quantidade de mortos que será apurada durante o ano – foram 121 mortes durante ações policiais em 2023 – e sim a proteção das vítimas e dos policiais. “A partir do momento que existe uma ação contra as forças policiais, contra o Estado, vamos revidar sim. Nossa preocupação são as vidas e patrimônio das vítimas e as vidas e patrimônio dos policiais”, afirmou Gurgel.

O delegado afirmou ainda que policiais que atuam no Estado estão preparados para confrontos. “Os criminosos precisam entender isso, se vieram para o enfrentamento, nós estamos extremamente preparados para isso. Não temos problema nenhum com o enfrentamento, até porque faz parte do trabalho policial. Não desejamos e não provocamos esse enfrentamento”.

Ainda durante a coletiva, Gurgel disse que é preciso ainda fazer a proporção de mortos e presos em abordagens policiais e que só morrem os que oferecem resistência e reagem aos agentes da segurança pública.

“As pessoas que não oferecem resistência e nem insurgem contra as forças policiais não foram feridas com tiros. Agora as que insurgirem vão ter a resposta conforme a postura”, finalizou o delegado-geral.

Leia também

Últimas Notícias

Fale com a Rádio Olá! Selecione um contato.