Campo Grande, Segunda-feira 22 de abril de 2019
17/03/2019 13h03 - Atualizado em 17/03/2019 13h03

De olho em 2020, partidos querem lideranças jovens em novas filiações

Dirigentes alegam que partidos precisam de novas lideranças, para mudar o diálogo com eleitores

Por Leonardo Rocha- Campo Grande News

Reunião do MDB, com a senadora Simone Tebet, ex-governador André Puccinelli e ex-senador Waldemir Moka (Foto: Leonardo Rocha) Reunião do MDB, com a senadora Simone Tebet, ex-governador André Puccinelli e ex-senador Waldemir Moka (Foto: Leonardo Rocha)

Diante do cenário de renovação política, que incluem também um novo eleitor, os partidos já planejam filiar lideranças jovens para compor seus quadros de olho nas eleições municipais de 2020. A expectativa é ter um contato mais próximo com este novo público, principalmente no diálogo pelas redes sociais, para fazer parte desta nova linguagem.

Esta preocupação está nos discursos das lideranças e dirigentes dos principais partidos, principalmente aqueles que tiveram resultados ruins nas últimas eleições. Um dos exemplos é o MDB, que depois de perder a Prefeitura de Campo Grande e governo estadual, e ver serem reduzidas as bancadas federal (não há emedebists do Estado na Câmara e, sem a reeleção de Waldemir Moka, Simone Tebet é a única senadora do MDB pelo Estado), estaduais e municipais, entende que precisa de renovação e novas lideranças.

O ex-governador André Puccinelli adotou este discurso na primeira reunião do diretório estadual do MDB, na sexta-feira (15). "Temos que trazer jovens para o partido, renovar nossa base, para entender o que o eleitor quer dos políticos nos tempos atuais, assim como melhorar a comunicação, que hoje funciona muito pelas redes sociais", disse o presidente estadual emedebista.

Na direção estadual do PT, partido que também sofreu derrotas eleitorais no Estado e nos principais municípios, a ideia é trazer novas lideranças, para "renovar" os nomes e plantel da equipe. "Precisamos trazer gente nova, senão ficamos sempre nos mesmos nomes e não saímos do lugar. Trazer mais jovens para novas ideias e ações", disse Cabo Almi (PT).

Base

O petista ainda mencionou que o seu partido sempre foi forte com a "presença da militância", por isso precisa voltar à base, para fortalecer os municípios do interior, assim como de Campo Grande. Na última eleição estadual, a legenda ficou apenas na 4° colocação na disputa ao governo e reduziu pela metade os integrantes da bancada federal e estadual.

O deputado José Carlos Barbosa (DEM) também ponderou que o seu partido precisa fortalecer as bases e andar mais nos municípios para vislumbrar projetos maiores. Ele também mencionou a importância de ter trazer "jovens lideranças" e ressaltou que a legenda está de portas abertas para quem se encaixar nas suas diretrizes

Envie seu Comentário