Campo Grande, Segunda-feira 22 de abril de 2019
01/04/2019 16h33 - Atualizado em 01/04/2019 16h33

Aluna com síndrome de down quebra braço na escola e ninguém nota

Família afirmou que registrará boletim de ocorrência por negligência

Por Guilherme Cavalcante - Midiamax

Uma criança de 4 anos que tem síndrome de down sofreu fratura dupla no braço enquanto estava na escola, na última sexta-feira (29), em Campo Grande. A menina precisou passar por cirurgia para colocação de pino, na Santa Casa, realizada na noite do domingo (31).

De acordo com o relato da mãe, na sexta-feira ela recebeu ligação da escola, para avisar que a criança apresentava um "roxo" no braço e que poderia ter sido picada de algum animal. Ela e o esposo levaram a menina até a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Vila Almeida, onde foi constatado que, na verdade, ela havia sofrido uma dupla fratura.

A mãe buscou saber junto à diretoria da escola sobre o que tinha acontecido e recebeu negativa de que a filha tenha sofrido qualquer queda. "Me disseram que foi preciso trocar minha filha por que ela tinha se urinado. Mas se isso aconteceu, foi de dor, porque ela não urina nas calças", conta a mãe.

Ela afirma, ainda, que sua neta – que estuda na mesma sala da criança acidentada – havia mencionado que a menina caiu de um balanço. "Eu fico impressionada com isso, porque minha filha tem síndrome de down e tem uma professora auxiliar à disposição. A diretora da escola me falou que ‘fatalidades acontecem’, só que neste caso eu considero que foi negligência", relata.

A mãe afirma, ainda, que a diretoria comprometeu-se a fornecer as imagens de câmeras de segurança, que teriam filmado o ocorrido. Até o contato com a reportagem, no entanto, a escola não havia entrado em contato.

"Estou sem nenhuma explicação. Não é normal uma criança ter o braço quebrado em dois lugares e nada ter acontecido", conta a mãe. Segundo ela, uma denúncia foi registrada no Conselho Tutelar e a família também pretende registrar boletim de ocorrência, para que o suposto caso de negligência seja investigado.

Ao Jornal Midiamax, a Semed informou que está apurando o ocorrido e que a direção da escola está prestando toda a assistência à família da aluna, desde sexta-feira (29). A direção da unidade ressaltou que já chamou a mãe da criança para verificar as imagens da câmera que registrou a aluna brincando no parquinho da escola. A secretaria afirma, ainda, que a assistente de educação infantil que acompanha a aluna será afastada da função até que a apuração do caso seja concluída.

Envie seu Comentário