Campo Grande, Sexta-feira 24 de maio de 2019
23/04/2019 16h22 - Atualizado em 23/04/2019 16h22

Número de usinas em recuperação judicial e falidas aumenta 18% e 8% em um ano

O cenário é preocupante: setor sucroenergético segue endividado e 12 usinas entraram em recuperação judicial em um ano

Por Leandro Medina com informações da Nova Cana

A safra 2019/20, aparentemente, possui ares que recuperação que devolveriam o vagão do setor sucroenergético aos trilhos. O etanol segue com consumo aquecido e preços competitivos em relação à gasolina, enquanto o açúcar reage à perspectiva de déficit global. Na ala dos investimentos, o BNDES financiou 2,76 bilhões para as usinas em 2018, 181% a mais que no ano anterior.

Ao mesmo tempo, parece que essas boas notícias só atingem os grupos que estão em melhores condições financeiras. Dada a disparidade evidente, ainda há muitas companhias descapitalizadas, e os sinais positivos não são suficientes para oferecer uma folga no já bastante apertado fluxo de caixa. São empresas que enfrentam dificuldades há muitos anos e, em alguns casos, estão próximas do fim da linha.

Piorando este cenário, os custos de produção da cana-de-açúcar se elevaram em 2,8% na safra 2018/19. No comparativo anual, o valor passou de R$ 9.109,17/ha para R$ 9.364,64/há, o que representa um desafio extra para muitos grupos.

Os dados da RPA Consultoria expressam o problema em números: houve um aumento de 17,6% na quantidade de usinas que entraram em recuperação judicial entre abril de 2018 e de 2019. Em relação às usinas falidas, o acréscimo foi de 8%. Enquanto isso, o número de unidades sem problemas caiu 3,7%.

Assim, em 2019, das 444 usinas brasileiras, 79 (18% do total) estão em recuperação judicial, 12 a mais que em 2018. Destas, 49 permanecem operando enquanto outras 31 estão paradas. Já das 27 usinas falidas (6% do total) – duas a mais que em 2018 –, quatro ainda operam enquanto outras 23 estão paradas.

Ainda partindo do total, 343 usinas (77%) devem operar em 2019 e 101 unidades (23%) estarão paradas, quatro a mais que no ano anterior.

Em Nova Alvorada do Sul a unidade ATVOS, aparentemente esta em pleno funcionamento, mas rumores vindo de fornecedores alegam que alguns atrasos no pagamento já vem acontecendo a um bom tempo. Ainda conforme um fornecedor de cana, são sinais tipicos que tem algo de errado acontecendo e suspeita que a usina esteja passando por dificuldades financeiras e teme uma paralização das atividades.

Envie seu Comentário