Campo Grande, Terça-feira 19 de março de 2019
11/03/2019 09h39 - Atualizado em 11/03/2019 09h39

Após não aceitar "explicações" do prefeito, Vereadores pedem comprovação de incentivos ofertados a Cooperalfa


Por Leandro Medina

Na sessão legislativa realizada na última quinta-feira (07), Os Vereadores de Nélio Dias Justen (PDT) e Renilson Cézar da Silva (MDB), por intermédio de uma indicação solicitaram do executivo municipal que seja enviado cópia da "CARTA CONSULTA" com seu respectivo número de protocolo, referente a incentivos ofertados a Cooperativa Agroindustrial Cooperalfa.

Os vereadores justificaram que a solicitação tem por objetivo esclarecer as indagações que a população tem feito com relação a não implantação da empresa no município.

Segundo informações os vereadores, produtores rurais, e a própria população não estaria engolindo a história contada pelo prefeito, após a empresa desistir de investir aproximadamente R$ 200 milhões de reais.

Um produtor rural que esteve acompanhando desde o início, lamentou a perca dos investimentos. "Estive acompanhando desde o aniversário de 50 anos, promovido pela Alfa, lá tivemos a informação que nosso município tinha tudo para receber a implantação desse projeto, logística, matéria prima, etc. Depois a delegação veio e foi tratado tudo a sete chaves, a informação que eu tenho de colegas produtores de Sidrolândia é que o presidente se sentiu constrangido com um determinado assunto, talvez seja isso que levou eles a desistirem". Lamentou

Desde que assumiu o mandato o Vereador Israel Gomes (PSD), vem pedindo informações ao prefeito e secretário de desenvolvimento econômico sobre a situação das empresas que receberam incentivos, tais como doação de terreno, entre outros, mas nunca foi atendido.

Desde março de 2017 venho cobrando informações, mas infelizmente o executivo não atende nossos pedidos, segundo informações o ex-secretário de desenvolvimento Otoniel Xavier, já teria feito um levantamento minucioso das condições que se encontra as empresas no polo empresarial, as que cumpriram e as que não cumpriram". Comentou

Nossa redação entrou em contato com algumas empresas beneficiadas, mas alguns beneficiados não querem comentar o assunto temendo represaria ou perseguição política. uma das empresas citou que o atual líder do prefeito é beneficiário de um terreno industrial e que segundo informações locais, não teria cumprido as exigências do programa de incentivos PRODEIS, como supostamente teria comercializado o terreno, que é estritamente ilegal, atualmente o caso é investigado pelo Ministério Público Estadual.

Envie seu Comentário